quinta-feira, 21 de abril de 2011

Nossa visita ao moto clube.

Alguns abutres na sede.
No dia 11 de Março, nosso grupo foi até a sede oficial do moto clube, localizada na Rua Itinguçu, 2732, zona leste de São Paulo. Lá realizamos uma pesquisa de campo e entrevistamos alguns dos membros, no qual tivemos a oportunidade de conhecer melhor a equipe, sua finalidade, sua filosofia, os lugares, etc.
     Primeiramente ao chegarmos no local cumprimentamos todo mundo que havia lá, após isso fomos conhecer bem a sede, como por exemplo, as roupas, suas motos, os quadros no qual tinha fotos de suas facções por todo o Brasil, seu símbolo o Abutre, e por ai vai. Durante todo esse processo foram tiradas algumas fotografias por nós.
     Bom, visto isso, começamos nossas entrevistas. O primeiro membro entrevistado foi o Ademir, vulgo “Pudim”, marceneiro, de 60 anos, 13 anos como membro dos Abutre’s, desde 1998. Pudim já é considerado um nômade, e em sua entrevista perguntamos por que ele quis se tornar um Abutre, desde quando faz parte, o que significa para ele pertencer a esse grupo e ele nos respondeu assim:
“Desde jovem sempre trabalhei muito, sempre quis ter uma moto, e apenas com 46 anos consegui adquirir minha primeira moto. Através de um amigo acabei conhecendo a equipe e o motoclube Abutre’s, o que me despertou grande interesse. Então após ser convidado por ele para participar da equipe resolvi fazer parte do grupo a partir de 1998. Foi uma identificação, aqui eu me sinto livre, tenho minha liberdade, desestresso, me divirto, é um estilo de vida, completamente diferente da sociedade egoísta e preconceituosa que vivemos. Aonde que você chega e é bem recebido, é cumprimentado por todo mundo? Aqui construí muitas amizades, há um grande respeito entre a família Abutre’s e isso é muito bom. Porém temos que saber separar o lazer com as responsabilidades que temos em nosso dia a dia, é preciso ter uma base, ter um compromisso primeiro para depois pode vir aqui se divertir. Trabalho e família depois lazer!”.
     Nosso segundo entrevistado, foi um figurassa, conhecido como “Batman”. Perguntamos a ele como ele se sentia dentro de uma equipe que se tornou a terceira maior de motocicleta do mundo, o que influenciou na vida dele e se ele conseguiria viver sem os Abutre’s. Com todo aquele jeito engraçado dele, ele nos respondeu que os Abutre’s é algo muito forte que ocorreu na vida dele, é um grupo que trouxe e traz muitas alegrias para ele, foi nele que fez as melhores amizades da vida dele. Ele se sente muito especial por estar no moto clube, e sabe muito bem a grandeza e a responsabilidade que se deve ter pelo mesmo. Conta que é uma família, muito unida, com muita diversão, diz que não conseguiria se imaginar se não estivesse aqui. Como o Pudim disse Batman torna a reforçar, que aqui ele se sente a vontade, livre, muita liberdade, esquece de todos os problemas. E diz também que deve se ter uma vida paralelamente séria, pois aqui é lazer, mas em casa a coisa é seria.
     Diante das entrevistas que fizemos, mais as nossas pesquisas, aprendemos muita coisa sobre uma equipe de moto clube, mais especificamente sobre os Abutre’s. Constatamos que muitas vezes deixamos nos levar pela aparência, somos preconceituosos, muitas vezes sem querer ser mesmo. Com toda aquela pinta de mau que os caras têm, achávamos que eles fossem malucão sem muita ideologia e vimos que não é nada disso, são pessoas muito bacanas e com a cabeça no lugar. Apesar de que, eles têm essa intenção de querer ser mau, causa algum impacto mesmo, por isso que nós acabamos sendo preconceituosos, até certo ponto. Eles possuem uma filosofia de vida que inveja qualquer um. Foi muito legal podermos conhecer os caras e com certeza aprendemos um bocado.
                         ABUTRE’S SEMPRE SEMPRE ABUTRE’S


Nenhum comentário:

Postar um comentário